English:
menu.gif

Google



Rock > Entrevistas

Andre Gimaranz trilha carreira internacional!

Por: Elias Nogueira
Musical Sun, Rio de Janeiro-Brasil, data: 19/04/2016

Guitarrista, compositor e cantor lança disco em inglĂȘs mirando o mercado internacional.

INTRO: Formado na Berklee School, Andre Gimaranz, cantor, compositor e guitarrista, tĂȘm nas veias o rock, blues e jazz, Ă© o que mostra em seu primeiro ĂĄlbum autoral “Handmade”. O disco vem com a produção requintada de famoso baterista e produtor Kadu Menezes, lançado e com distribuição norte-americana muito bem elaborada, fĂ­sica e digital.

Rodeado pela mĂșsica desde criança, Andre tem em seu progenitor total inspiração, o violonista e guitarrista nas dĂ©cadas de 1950 e 1960 Sr. AntĂŽnio Carlos; seu principal incentivador e admirador. Seu pai iniciou a cria no jazz e na bossa. Na adolescĂȘncia, Andre se enveredou pelo rock e blues e embriagou-se na fonte de bandas como Led Zeppelin, Pink Floyd, Deep Purple e Rush.

Na juventude mergulhou no rock nacional da dĂ©cada de 1980 e tocou em vĂĄrias bandas independentes, e acabou decidindo aprimorar sua musicalidade nos EUA, onde foi estudar guitarra na Berklee School, em Boston. Assim, Andre ampliou seu leque de amizades artĂ­sticas, atuou como mĂșsico de estĂșdio durante todo o curso e se filiou a ASCAP (Sociedade Americana dos Compositores e Autores), abrindo sua prĂłpria editora musical, a Flawless Imperfections, qual registrou todas as mĂșsicas do seu primeiro registro musical, o lançamento “Handmade”.

Atualmente, alĂ©m de divulgar seu novo trabalho, Andre escreve mĂșsicas para programas de TV e cinema norte-americano.

Recentemente, no início do ano, Andre Gimaranz fez show (09 de janeiro) no Rio de Janeiro ao lado do renomado e também guitarrista, Victor Biglione, antes de embarcar para os EUA, para mais uma apresentação (24 de janeiro) em Orlando.


André Gimaranz - Foto: divulgação.
1) Inicio de carreira:
Andre Gimaranz: Pra mim, eu sempre fui mĂșsico. Toco violĂŁo e guitarra desde muito jovem, toquei em todas as bandas do GrajaĂș e da Tijuca nos anos 1980.
Ouço mĂșsica o dia todo e nĂŁo importa o que eu esteja fazendo. EntĂŁo, pra mim, sempre fui um mĂșsico. Ser chamado assim por ofĂ­cio demanda alguns requisitos prĂ©-estabelecidos, por isso que sou mĂșsico mesmo, hĂĄ uns 15 anos. Foi quando comecei estudar mĂșsica seriamente e a atuar como session musician, nos EUA. Depois da Berklee, surgiram alguns convites, algumas bandas e muitas sessĂ”es, especialmente ligadas Ă  mĂșsica brasileira. Apesar de sempre ter gostado muito de jazz e do rock, Pink Floyd, Rush e Led Zeppelin e por ser brasileiro toquei muito tempo bossa-nova e samba-jazz nos EUA. Depois de um hiato de dois anos, aproximadamente, decidi que era hora de fazer uma coisa minha e iniciar o projeto do meu primeiro disco solo “Handmade”, lançado em março de 2015, pela minha editora “Flawless Imperfections”, ASCAP. Toco guitarra, violĂŁo de aço, violĂŁo clĂĄssico e ukelele.
2) MĂșsicos como: Kadu Menezes, Fernando MagalhĂŁes e Rodrigo Santos:
Andre Gimaranz: A idéia de chamar esse pessoal partiu do Alexandre Chalom, um amigo em comum, que trabalhou na produção do Kid Abelha muitos anos. Ele me colocou em contato com o Kadu e aconteceu tudo certo.
3) Letras em InglĂȘs:
Andre Gimaranz: Eu escrevo em inglĂȘs. Toda minha formação em teoria musical e composição, foi nos EUA, entĂŁo ficou meio que automĂĄtico pra mim.
André Gimaranz - Foto: divulgação.
4) “Handmade” faixa a faixa:
“Fearless”:
Andre Gimaranz: É um rock com harmonia jazzística, com uma base rítmica que remete ao frevo.

“Hard to Believe”:
Andre Gimaranz: Um rock em 3/4 com influĂȘncia flamenca. Curto e direto.

“This Gift”:
Andre Gimaranz: Releitura de uma balada do compositor irlandĂȘs Glen Hansard, ganhador do Oscar de melhor canção original em 2007 com 'Falling Slowly".

“Even”:
Andre Gimaranz: Balada folk tendo como estrela meu Martin 00-17 de 1942. Essa canção foi indicada para o IMEA Awards 2015 como canção adulto-contemporĂąnea do ano pela Associação Internacional de Artes a Entretenimento da AmĂ©rica (IMEA). O ĂĄlbum “Handmade” tambĂ©m foi indicado como ĂĄlbum do ano pelo IMEA.

“Can't Stand the Rain”:
Andre Gimaranz: Blues-rock de influĂȘncia californiana, numa releitura da balada soul de Ann Peebles.

“Rise and Fall”:
Andre Gimaranz: Outra balada folk, dessa vez com elementos jazzĂ­sticos, e uma influĂȘncia da divisĂŁo rĂ­tmica da mĂșsica brasileira.

“For The Time Being”:
Andre Gimaranz: Com certeza a canção mais jazzística do ålbum, com destaque para os solos de guitarra e piano.

“What now?”:
Andre Gimaranz: Uma bossa-rock com um mistura de influĂȘncias que vĂŁo desde Johnny Alf atĂ© Steely Dan.

“Murder by Number”:
Andre Gimaranz: A canção de “humor-negro” de Sting e Andy Summers ganha novos ares com guitarras em contraponto e solos distorcidos.

“Zappa Goes Shopping”:
Andre Gimaranz: Instrumental. Esta mĂșsica estĂĄ na trilha sonora do filme americano “Project 69” a ser lançado na primeira metade de 2016. Uma avalanche de guitarras (oito, no total), compĂ”e a parede sonora desse rock intenso.

Web site: andregimaranz.com/
e-mail:
Fone:
Endereço para correspondência:



 
Musical Sun® - Todos os direitos reservados.