English:
menu.gif

Google



ROCK > Entrevistas

Cactus Cream

Por: Elias Nogueira
Musical Sun, Rio de Janeiro-Brasil, data: 17/02/2009

INTRO:
A banda, carioca, Cactus Cream - Paulo Metello (vocal, guitarra e violĂŁo), Arthur Brasil (baixo), Beto Callado (guitarra) e Leandro Vairo (bateria), Ă© ativa na cena independente desde 1998. Desde entĂŁo, eles lançaram vĂĄrios discos. Com elementos indie, rock, pop, melĂłdicos e poĂ©ticos, Ă s vezes pesados e psicodĂ©licos, dançante ou apenas ouvir. As influĂȘncias sĂŁo diversas e incluem Velvet Underground, Beatles, David Bowie, Kraftwerk, Scott Walker, Leonard Cohen, Mutantes, Los Hermanos, Echo and the Bunnymen, Jesus and Mary Chain, Strokes, Interpol, Arctic Monkeys, Rapture, CSS, The Cure e outros. Eles compĂ”em em PortuguĂȘs e InglĂȘs. Em entrevista – exclusiva, o vocalista e fundador da banda, Paulo Metello, fala da histĂłria, discos e novidades do grupo.
Veja os melhores momentos da conversa.

Banda Cactus Cream - Foto: Leo Vairo
1) Quantas formaçÔes o Cactus Cream jĂĄ teve? VocĂȘ Ă© o Ășnico da primeira formação?
Paulo Metello (Cactus Cream): Acho que tivemos umas quatro formaçÔes båsicas. A atual estå muito legal. O som estå fluindo como nunca e a galera pensa muito parecido sem perder a individualidade. Estou desde o início, mas acredito que todos contribuíram, ao longo do caminho, com suas parcelas nos arranjos das composiçÔes que venho desenvolvendo desde então.

O Arthur toca na banda desde 2004 e o Beto voltou esse ano pra banda, assumindo a guitarra. Eu estou no vocal, violĂŁo e guitarra.
Na bateria entrou o Leandro Vairo. O engraçado Ă© que eu o chamei pra tocar no meio de uma pelada no ColĂ©gio Santo Agostinho, que Ă© o lugar de encontro dos mĂșsicos que gostam de jogar uma bola. Todos da banda batem uma bolinha no Santo Agostinho. O Leandro entrou muito bem na banda e fez a liga. Algumas vezes contamos com a participação especial do Kiko Ramos e Alberto Mattos que tocam com o Nervoso.

2) A banda estĂĄ lançando uma caixa com trĂȘs discos. Gostaria que comentasse.
Paulo Metello (Cactus Cream): Estamos lançando uma caixa ainda intermediĂĄria com parte do material que lançamos nos Ășltimos anos. A idĂ©ia, mais tarde, Ă© lançar todos CDs gravados atĂ© o momento, em uma caixa maior e mais completa. Estamos estudando algumas opçÔes de lançamento.
Paulo Metello, lĂ­der do Cactus Cream - Foto: Elias Nogueira
3) VocĂȘs lançaram dois EPs?
Paulo Metello (Cactus Cream): É verdade, um em 2005 “Pequena Sinfonia de Bolso” e outro em 2006 “Disco Punk Drunk”. Fizemos tambĂ©m o prĂ©-lançamento no MySpace este ano de um terceiro EP antes de lançarmos oficialmente.
O EP se chama “Dance Surreal Studio” e estamos remasterizando para o lançamento oficial nos prĂłximos dias. Uma das mĂșsicas deste CD “Nuvens de Hortelã” entrou na trilha sonora do Filme “Rainhas” que foi exibido no mais recente Festival de Cinema do Rio.

O EP “Pequena Sinfonia de Bolso” foi produzido pelo mĂșsico e produtor Claudio Lyra, sobrinho do Carlos Lyra, Ă­cone da Bossa Nova.
Apesar de transitar no terreno da mĂșsica brasileira, ele gosta, tambĂ©m, de Rock e fez um trabalho mais limpo buscando a clareza das melodias. Este foi o primeiro CD gravado jĂĄ com o Arthur Brasil, que jĂĄ vinha tocando baixo com a gente desde o ano anterior.

No ano de 2006, o grupo deu um intervalo e fiquei compondo algumas mĂșsicas no meu estĂșdio caseiro. Depois que tinha algumas mĂșsicas, levei tudo atĂ© o estĂșdio do Arthur, que domina muito os programas de gravação e, tem um excelente equipamento. Ali fizemos a base do EP “Disco Punk Drunk”, e com calma, pudemos explorar vĂĄrios timbres e idĂ©ias de produção. Depois levamos para o estĂșdio e fizemos o arremate. Algumas mĂșsicas do CD foram tocadas tambĂ©m em rĂĄdios e pistas de casas noturnas cariocas, principalmente a mĂșsica “Disco Punk”. Essa mĂșsica, tambĂ©m, rendeu um clipe feito pela Intervalo ProduçÔes. Uma incrĂ­vel animação com monstros e robĂŽs lutando e que serviu de abertura para o Filme Mega Powers. Na trilha do filme podemos encontrar vĂĄrias mĂșsicas do Cactus Cream de vĂĄrias fases da banda.

4) Nova formação, novo disco e novos horizontes? Pode-se falar que é um retorno do Cactus Cream?
Paulo Metello (Cactus Cream): Acho que a banda veio se reformulando no decorrer desse ano e acho que estamos num momento muito legal de evolução e inspiração! Fizemos um show de estrĂ©ia muito bacana no Cine Lapa e estamos com outros marcados. Muitos contatos legais, atravĂ©s do nosso, www.myspace.com/cactuscream , foram feitos tambĂ©m. Nossas mĂșsicas foram e estĂŁo sendo tocadas em rĂĄdios norte-americanas, inglesas e brasileiras. O pĂșblico em geral vem recebendo muito bem nossas mĂșsicas, tanto no Brasil, quanto no exterior.

Acho que poderĂ­amos encarar isto como uma evolução continuada. Vejo um Cactus Cream com muito mais quĂ­mica, vontade de tocar e real paixĂŁo pela mĂșsica. Estamos com muitas possibilidades reais pela frente e disposição de trabalhar com empenho para vencer as dificuldades que permeiam o meio musical atual. Estamos avançando para alcançar o que almejamos.

Web site: www.cactuscream.com.br
e-mail:
Fone:
Endereço para correspondência:



 
Musical Sun® - Todos os direitos reservados.